ultrassom obstétrico morfológico

O Ultrassom obstétrico morfológico

Durante o pré-natal, os exames de ultrassom morfológico representam um momento emocionante para a mãe, pai e demais familiares. É a primeira visualização do bebê no ventre materno. É possível ver sua face, seus movimentos e seus batimentos cardíacos. Além disto, o ultrassom morfológico obstétrico é fundamental para a avaliação da saúde materna e fetal.

“Alguns exames de ultrassom obstétrico são indicados durante a gestação. Ao menos um deve avaliar detalhadamente a morfologia das estruturas fetais na busca precoce de malformações. Este exame é chamado de ultrassom morfológico”, explica a médica radiologista Dra. Aline Amadeu, do Mello Centro de Diagnóstico.

Visite a página do exame de ultrassom obstétrico morfológico no Mundo dos Exames, clique aqui.

 Como e quando deve ser realizado o exame de ultrassom obstétrico morfológico?

O ultrassom obstétrico morfológico é realizado da mesma forma que os demais exames de ultrassom gestacionais, sendo preferencialmente pela via transvaginal no primeiro exame, chamado morfológico de primeiro trimestre, e pela via abdominal no segundo exame, chamado morfológico de segundo trimestre. O chamado ultrassom morfológico de primeiro trimestre é melhor realizado entre 11 e 14 semanas gestacionais e o ultrassom morfológico de segundo trimestre é melhor realizado entre 20 e 24 semanas.

Qual o objetivo do ultrassom obstétrico morfológico de primeiro trimestre?

No primeiro ultrassom morfológico, são avaliadas principalmente as condições gerais de formação e posição da placenta e líquido amniótico, condições do colo uterino e informações iniciais da anatomia fetal. No feto, são avaliadas especialmente as suas dimensões, formação e frequência cardíacas, estudo Doppler do ducto venoso, avaliação do osso nasal e da translucência nucal.

O ducto venoso é uma comunicação entre a veia umbilical e a veia cava inferior no período fetal, e, alterações no fluxo do ducto venoso podem sugerir disfunção cardíaca.

O osso nasal ausente ou menor que o habitual pode ser importante preditor da síndrome de Down. Já a translucência nucal, que é o acúmulo anormal de líquido na região da nuca fetal, é importante para excluir algumas malformações, como cardiopatias congênitas e doenças genéticas.

Um terço dos fetos com translucência nucal aumentada apresentam anomalias cromossômicas, sendo Síndrome de Down a mais frequente. O ultrassom obstétrico morfológico é essencial na identificação precoce destas anomalias.

Qual o objetivo do ultrassom obstétrico morfológico de segundo trimestre?

No segundo ultrassom morfológico, assim como nos exames obstétricos convencionais, são novamente avaliadas as condições da placenta, líquido amniótico e colo uterino, as dimensões e vitalidade fetais. No entanto, este exame tem por finalidade maior uma detalhada avaliação da anatomia fetal, com visualização individualizada das estruturas intracranianas, faciais, torácicas e cardíacas, aparelhos urinário e digestivo, estruturas ósseas vertebrais e dos membros superiores e inferiores. Na avaliação cardíaca, ainda se avalia a funcionalidade das válvulas cardíacas e o fluxo adequado do sangue nas câmaras cardíacas e grandes vasos corporais.

Um resultado alterado no exame de ultrassom obstétrico morfológico significa que o bebê apresentará malformação?

Não! A sensibilidade dos marcadores biofísicos no primeiro trimestre para detecção de anomalias cromossômicas, como osso nasal, translucência nucal e ducto venoso, é em torno de 70 a 90%. Igualmente, a sensibilidade da avaliação dos órgão e sistemas no segundo trimestre é em torno de 80 a 90%. Logo, resultado positivo significa apenas risco aumentado de patologia, necessitando de outros exames para confirmação ou exclusão diagnóstica.

Assim como, achados normais no ultrassom morfológico indicam baixa probabilidade de doença. Porém, não é completamente excluída a possibilidade do feto estar acometido por alguma patologia.

É necessário pedido médico para realização do ultrassom obstétrico morfológico?

Sim, no caso dos exames realizados pelos planos de saúde, o pedido médico é solicitado pelo convênio. No geral, os dois exames de ultrassom morfológico indicados na gestação são aprovados pelos convênios médicos. Além disto, o pedido médico é importante para que o resultado do exame seja avaliado pelo médico obstetra solicitante, que poderá correlacionar o resultado do ultrassom com os demais exames rotineiros do pré-natal, podendo assim proporcionar à mãe e ao seu bebê, acompanhamento completo e eficaz.

Você precisa realizar o exame de ultrassom obstétrico morfológico?

O Mello Centro de Diagnóstico realiza o exame de ultrassom morfológico de primeiro e segundo trimestre. O centro de diagnóstico atende convênios (consulte a elegibilidade da sua operadora e plano de saúde) e clientes particulares. O valor e mais informações sobre o exame podem ser consultados pelo telefone (11)5014-2199 ou pelo email: agendamento@mellodiagnostico.com.br.

Sobre a autora:

Dra. Aline Amadeu é médica formada pela Unicamp e membro titular do Colégio Brasileiro de Radiologia. Dra Aline integra o serviço de imagem do Mello Centro de Diagnóstico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *