exame toxicológico

Quando é necessário fazer o exame toxicológico? Como ele é realizado?

O exame toxicológico passou a estar mais presente no nosso cotidiano, após a Lei 13.103 de 2015, tornar obrigatório o exame toxicológico de larga janela de detecção, juntamente com os outros exames médicos e mentais obrigatórios, no processo de habilitação ou renovação das CNHs (Carteira Nacional de Habilitação) nas categorias C, D e E.

Neste artigo, o Mundo dos Exames, em parceria com o Mello Centro de Diagnóstico, um dos principais laboratórios da capital paulista, esclarece os principais pontos e dúvidas sobre o tema.

O exame toxicológico

O exame toxicológico, ou exame de cabelo, como é popularmente conhecido, é utilizado para identificar hábitos e costumes em relação ao consumo de drogas psicoativas. A tecnologia consegue detectar o uso das substâncias com uma visão retroativa de pelo menos 90 dias, podendo se estender até 180 dias.

O exame toxicológico ainda especifica a quantidade da droga utilizada pelo paciente. Por isso, também é chamado de exame toxicológico de larga janela de detecção.

Ao todo, no exame toxicológico realizado pelo Mello Centro de Diagnóstico, são avaliadas 14 substâncias:

1) Maconha e drogas derivadas

2) Cocaína e drogas derivadas

3) Heroína

4) Anfetaminas

5) Metanfetaminas

6) Morfina

7) Ecstasy (MDA)

8) Ecstasy (MDE)

9) Ecstasy (MDMA)

10) Codeína

11) Oxicodine

12) Anfepramona

13) Femproporex

14) Mazindol

O consumo de álcool não é detectado pelo exame toxicológico.

A origem do exame toxicológico analisando o cabelo

Os exames de cabelo foram utilizados primeiramente pela Marinha de Guerra Americana com o objetivo de obter resultados mais confiáveis no programa de combate ao uso de drogas e prevenção de acidentes, chegando ao mercado privado no ano de 1988.

O exame toxicológico é importante porque consegue detectar a presença das substâncias em uma escala muito maior de tempo do que os tradicionais exames de urina e saliva, que só permitem a detecção de drogas utilizadas em até três dias (no caso do exame de urina) e apenas um dia, no caso do exame de saliva.

O teste chegou ao Brasil em 1999 e, desde então, diversos profissionais precisam ser submetidos ao exame para exercerem suas atividades.

Entre os profissionais cuja ocupação exige o exame toxicológico estão: policiais militares, bombeiros, membros das Forças Armadas e funcionários do Ministérios Público, além de colaboradores de empresas aéreas.

Desde o início de 2016, o exame toxicológico passou a ser obrigatório para emissão e renovação de carteira de habilitação (CNH) de motoristas das categorias C, D e E. Além disso, empresas do segmento de transporte também devem solicitar a realização do exame em caso de contratação ou demissão de motoristas.

O exame toxicológico é muito importante porque consegue detectar um histórico do paciente e não apenas o contato recente com uma destas drogas. Também tem maior eficácia, quando comparado com outro método. A análise é feita por amostras do cabelo ou pelos do corpo e uma pequena quantidade já é suficiente.

 Como é feito o exame toxicológico

 A análise é feita por amostras tanto do cabelo como do corpo. O procedimento é simples e não exige nenhum tipo de preparação prévia do candidato, pois não é invasivo.

É indolor e apenas uma pequena amostra é necessária. Quem é submetido ao exame toxicológico não sofre nenhuma mudança estética.

Para realizar a coleta, é necessário possuir pelo menos 4 centímetros de cabelo, da raiz até a ponta. Caso o candidato não tenha essa quantidade no couro cabeludo, torna-se necessária a retirada de pelos do corpo. Depois de colhida a amostra de cabelo, o resultado do exame fica pronto em um prazo máximo de 12 dias.

Como funciona a tecnologia empregada no exame toxicológico

 O fio de cabelo é formado por uma complexa estrutura: cutícula, córtex e medula. Essa estrutura é abastecida pelo sangue. Quando há o consumo de substâncias psicoativas, o sangue do usuário impregna o fio de cabelo. A quantidade dessas drogas em cada fio dependerá do consumo realizado ao longo de determinado período.

No primeiro passo, o cabelo é submetido a uma lavagem para a retirada de qualquer possível contaminação externa. Em seguida, o material vai ser avaliado para verificar a presença das substâncias psicoativas relacionadas às drogas que estão sendo analisadas.

O procedimento é realizado por meio de reagentes específicos e quando houver impregnação das drogas no cabelo, o antígeno irá acusar a presença de cada droga utilizada pelo usuário. Caso não seja encontrada nenhuma substância, o laudo será negativo. Em caso positivo, a amostra será avaliada por um espectrômetro para verificar as quantidades da droga encontrada.

Sua ocupação exige a realização do exame toxicológico? Entre em contato com o Mello Centro de Diagnóstico e agende o seu exame.

Visite o perfil do Mello Centro de Diagnóstico no Mundo dos Exames, clicando aqui.

O Mello Centro de Diagnóstico possui 7 unidades, distribuídas em todas as regiões da cidade de São Paulo, além de uma unidade na cidade de Osasco. Para agendar seu exame, entre em contato no telefone (11) 5014-2199.

Este artigo foi produzido em parceria pelo Mundo dos Exames e o Mello Centro de Diagnóstico.

Sobre a autora:

Dina Yaeko Uehara Formaggio é biomédica com 37 anos de experiência e atua como gerente técnica do Mello Centro de Diagnóstico.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *